As melhores dicas de gestão de sinistro para sua corretora de seguros

Segundo as classificações de marketing atuais, os seguros são considerados “bens não procurados”, pois os consumidores, evitando pensamentos negativos, não pensam em contratar e por isso, é necessária muita propaganda e uma hábil comunicação e poder de persuasão do corretor para que a venda aconteça. Como todo corretor sabe, o sinistro é, de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), a ocorrência de uma situação coberta pela apólice contratada durante o seu período de vigência. O que muitos corretores (ainda) não sabem é de que maneira realizar a gestão de sinistros, ou seja, como irá administrar esses eventos e principalmente, como preveni-los.

Separamos algumas dicas essenciais para o corretor de seguros aplicar no gerenciamento de sinistros do seu negócio. Conheça-as e veja o quão fácil é aplicá-las em seu dia a dia.

1 – Reforce seus meios de comunicação

Corretor, entenda: você é um aliado fiel do seu cliente. Por isso, não pode existir a mais remota possibilidade de que ele entre em contato com sua corretora e fique sem resposta. Isso reforça que para muito além da venda, você se preocupa com a proteção do seu segurado.

Elabore um bom canal de comunicação para que seus clientes possam entrar em contato sempre que houver a necessidade. Assim, você testifica sua credibilidade e aumenta a confiança do cliente no seu trabalho.

2 – Estimule exames preventivos

É papel do corretor orientar os seus clientes a respeito da necessidade de incentivar os exames preventivos. Um segurado que possui apólice de vida precisa, assim como todos nós, realizar exames periódicos para atestar sua situação de saúde. Por isso, envie a seus segurados mensagens de conscientização sobre exames importantes como o de mama e próstata, especialmente em épocas dedicadas a isso, como o Outubro Rosa e Novembro Azul.

Estimule clientes que tem apólice de seguro auto a fazerem manutenções periódicas, calibragem de pneus, cuidados com o freio e troca de óleo, por exemplo. Claro, sempre em locais de confiança e com especialização nessas áreas.

3 – Mapeie épocas de risco

O período de Carnaval, por conta de viagens, trânsito nas ruas, aglomerações etc., é um dos períodos do ano com a maior taxa de sinistralidade nos mais variados tipos de seguros, mas também é quando ocorre a maior procura pelo produto. Faça um mapeamento de riscos especiais que envolvam este período e outros no ano dedicados a grandes comemorações, como o ano novo e o Natal. Com a organização destas informações fica mais fácil identificar quais imprevistos seus leads estão expostos e, assim, definir qual seguro oferecer.

O mapeamento de riscos também te apresenta a taxa de sinistralidade dos períodos para que você esteja preparado para épocas em que precisar se dedicar bastante a gestão de sinistros.

4 – Guias de precaução

Os guias de prevenção de sinistralidade são um conjunto de direcionamentos e dicas para auxiliar o segurado, de acordo com sua apólice de seguro. Para clientes de seguro auto, por exemplo, desenvolva guias com medidas preventivas que possam ser adotadas pelo segurado em viagens de carro. Em caso de clientes com seguro residencial, planeje um material com dicas de segurança para casa, evitando acidentes domésticos etc.

 

No CRM Ping Seguro é possível registrar origens, severidades, status e tipos dos sinistros, com rapidez e segurança, para atender as necessidades dos clientes justamente quando eles mais precisam do seu trabalho! Faça um teste grátis clicando aqui.

, , , , , , , , ,
Governo cria grupo de trabalho para estudar um novo seguro
Seguros de pessoas arrecadaram R$ 62 bilhões no acumulado até abril

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu